sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Dedicatória à perfeição

Eu olho e tudo vejo,
Sinto-me acordado, atento, vivo.
Vivo como nunca antes pude pensar,
Vivo como nunca antes pude existir,
Vivo como nunca antes pude ter medo,
Medo da morte.

Os tons de cinza de uma fotografia antiga
Ganham cores agora.
Cores antes nunca imaginadas,
Cores que me preenchem,
Cores essas que me colorem.
Colorem-me de esperança, e fé.

A incerteza que me bamboleava
Agora dá lugar para a força.
Força de lutar, ganhar e vencer,
Força pra continuar a navegar,
Força que vai fazer tudo mudar.
Mudar de volta pro bom.

Juntos vamos ficar
Livres a rir de nós mesmos.
A manhã vem nos cumprimentar
Na sua esplêndida maneira de ser.
Euforia nos nossos melhores momentos
Temores nos nossos piores.
A ninguém explicaremos o que temos
Mortais e mundanos que são nunca entenderão.

E isso graças a você;
A você que é a minha vida completa e não precisa;
A você que é a minha cor berrante e cheia de vida;
A você que é a minha força de vontade e esperança;

A você dedico meu amor.
A você dedico a minha essência.
A você dedico o meu ser.

Dedicatória à perfeição

(Victor Castanheira Antunes)

Novo Aeon - Raul Seixas

Sociedade alternativa
Sociedade novo aeon
É um sapato em cada pé
É direito de ser ateu
Ou de ter fé
Ter prato entupido de comida
Que você mais gosta
É ser carregado, ou carregar
Gente nas costas
Direito de ter riso e de prazer
E até direito de deixar
Jesus sofrer...