terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Um Bilhete

Dedico essa a você, que de uns tempos pra cá se fez minha verdadeira companheira. Minha doce escapatória desse mundo, dessa insensatez inconseqüente. Não lembro direito como nos conhecemos, mas estou feliz por ter te beijado naquela noite. Você não parava de me olhar, fiquei até meio sem graça no início, mas depois percebi que era pra acontecer. Às vezes sinto-me mal por estar com você. Por ser diferente dos outros, mas ai me convenço que você é perfeita. Perfeita não, tudo bem. Mas se aproxima dela para mim. Até mesmo nos mais amargos momentos você me aparece com o mel da felicidade. Me faz ir além dos dez ridículos por cento da capacidade de minha cabeça animal. Quando ficamos sozinhos, um oceano inteiro de pensamentos me vem à mente e você adivinha todos como se dominasse a telepatia. No silêncio nos fazemos mais eloqüentes do que quando conversamos. Por quê? Queria saber. Você sabe o que eu penso, mas eu não sei o que tu pensas. Não sei ao certo qual será seu próximo ato. Incerteza. Eu gosto disso. Gosto do jeito que seus atos me influenciam, gosto como você me conduz, como você me aceita. Eu te amo e não sei se deveria. Mas você me completa. Entende? Acho que sim, você sempre me entende. Espero que nunca me largue.

À Loucura

Um bilhete
(Victor Castanheira Antunes)

5 comentários:

Carolina. disse...

sua escrita tá melhorando a cada dia, marrom =)
adoreeeei esse seu texto, acho que um dos mais legais que eu já li!

beijo beeijo

nii;massine disse...

*---------* , sem comentários, entende? IAHSOIAHI ,beijao .

Yza. disse...

Po, muito bom. Espero que ela tenha lido isso, huiaha :)

Beijos

Ananda disse...

adorei.
:D

sobre o seu comentário em meu blog: não discordo que o governo do molusco seja de certa forma bom e ele esta nos encaminhando bem pela crise [pelo menos superficialmente].
mas tb nao posso negar que aquilo tudo é verdade
=]

obrigado pelo comentário.
volte sempre que quiser !

Angela disse...

Adorei o texto! Realmente faz sentido! Bem legal e simples!!

Novo Aeon - Raul Seixas

Sociedade alternativa
Sociedade novo aeon
É um sapato em cada pé
É direito de ser ateu
Ou de ter fé
Ter prato entupido de comida
Que você mais gosta
É ser carregado, ou carregar
Gente nas costas
Direito de ter riso e de prazer
E até direito de deixar
Jesus sofrer...