domingo, 21 de dezembro de 2008

O natal é muito mais do que presentes.

Há mais ou menos uns três ou quatro anos que eu venho sentindo raiva e desprezo por essa época de natal. Me xinguem, mas é verdade. Isso porque em um natal estava eu indo pra casa da minha avó, passando pela Av. Rio Branco, e vi dezenas de famílias desabrigadas ao longo da rua, sem comida, sem presentes, sem viagens, porém felizes, com um sorriso sofrido e profundo no rosto, por estarem ali juntos e vivos. Na época eu tava puto com meu pai por ele não ter me deixado passar o ano novo em Cabo Frio, eu acho, mas aquela cena me fez ver quão pequena estava sendo a minha atitude. Na época eu tinha presenciado uma criança tendo um ataque de raiva porque a mãe não queria comprar o boneco de presente e aquilo pra mim foi indiferente, mas aquela cena me fez ver como aquele menino estava sendo egoísta. Na época eu gostava de ouvir os slogans das lojas na tv como “Já é natal na Leader Magazine” e “Lojas Americanas o maior natal do Brasil”, mas aquela cena me fez ver que essa merda que a maioria da população chama de natal é só mais uma jogada do capitalismo pra fazer a gente gastar o dinheiro que não tem, pra alimentar o nosso egoísmo, pra querer mais e mais bens materiais e se esquecer do mundo ao seu redor, das coisas que realmente são importantes.

Não sou religioso, aliás, estou muito longe de ser um. Não sei se acredito em um deus, não sei se vale à pena seguir uma doutrina religiosa, não sei se Jesus realizou todos aqueles milagres, mas uma coisa eu sei, e isso é comprovado, Jesus foi um dos maiores, se não o maior, revolucionário de toda a Terra. E sua mensagem era simples: desapego material e viver com amor e a natureza. Mas, infelizmente naquela época os homens já conheciam o sabor do poder e não queriam perdê-lo, ai fizeram toda aquela história que todo mundo sempre assiste na TV quando é natal, páscoa e feriados religiosos. A questão é: os manda-chuvas que se dizem religiosos, se dizem acreditar em deus e em Jesus Cristo, tiveram a brilhante idéia de se tornarem mais ricos fazendo do natal mais uma data pro povão comprar, comprar, comprar. Acho que o verdadeiro sentido do natal é celebrar o nascimento do melhor revolucionário da Terra e propagar a mensagem dele, mas vamos ser sinceros, paz, amor e desapego material não levam as pessoas pro shopping center gastar. Sem as pessoas no shopping, os lucros caem. Com os lucros caindo os manda-chuvas não podem comprar seu caviar, e isso é tão deprimente... Aí quando eu digo que esses caras são suspeitos de serem uma farsa, que são suspeitos de usarem a religião pra passar a perna no povo, eu sou o cético, sou o sem coração, sou o incrédulo... Enfim, não estou dizendo com isso que todas as pessoas desacreditem nas suas doutrinas, ao contrário, a grande maioria necessita de uma crença religiosa e não sou eu quem vai dizer se é mentira ou não. Mas aqueles que têm um certo poder, pra mim, se tornam suspeitos. Apenas suspeitos. Também não estou acusando ninguém de não acreditar naquilo que diz acreditar. Apenas suspeitando.

Até mesmo o querido papai Noel, o bom velhinho, que dá presentes a todas as boas crianças, foi uma "invenção" de um cartola americano, que se baseou na história de um santo. A coca-cola veiculou a imagem do papai Noel pra ajudar a sua propaganda na época de natal. Velho filho da puta, elitista do caralho. Quer dizer que todas as crianças pobres são más? Eu, ainda bem, nunca sofri com isso, mas imagina o quão ruim deve ser pra um menino ou uma menina carente, que se comporta o ano todo acreditando na lenda desse velho de merda e chega no dia e não ganha porra nenhuma. Deve ser traumatizante. As crianças nascem sem conhecimento algum e tudo que elas sabem na infância é o que nós, mais velhos, falamos e o que a imaginação delas é capaz de criar. Essa idéia de que pra demonstrar o seu amor você precisa dar um presente é tão sufocantes, que os pequenos ficam triste quando não ganham um, achando que as pessoas não amam eles, e até essas crianças terem a capacidade de entender que essas coisas são só negócios já é tarde demais, a merda tá feita e o moleque virou mais um consumista no mundo.

Se vocês perceberem nós não temos folgas de feriados que se fazem necessário comprar um presente. Começa pelo natal em dezembro, presentes caros. Solução? Parcela tudo em 10x sem juros, por favor! Paga janeiro, paga fevereiro, paga março, paga abril, puta que pariu, tem a páscoa. Qual ovo que vocês querem? O do bob esponja, pai. Ai, eu prefiro uma caixa de bombom da Kopenhagen. Amor, eu vou querer aquela caixa de trufas da vitrine. Ta bom. Quanto sai tudo, amigão? Trezentos reais, senhor. Uau, ok, parcela tudo em 10x sem juros, por favor. Paga dobrado em maio e... ai porra tem o dia das mães. Vocês sabem o que a mãe de vocês quer? Pai, acho que ela quer aquele novo perfume e um vestido. Beleza, vou lá comprar. Esses dois aqui, dá quanto? Oitocentos reais, senhor. Meio caro, hein, hehehe, parcela tudo em 10x vezes sem juros. Paga triplicado em junho e... mas que merda já tem dia dos namorados. Esse anel e esse cordão, no cartão por favor, 10x sem juros. Paga quadruplicado em julho, agosto e, opa, dia dos pais. Huuum, acho que eu vou comprar um terno novo pra ele e uma caixa de charutos. Parcela tudo em 10x sem juros, por favor. Paga quintuplicado em setembro, outubro, caralho, dia das crianças. Parcela tudo em 10x sem juros, por favor. Paga seis vezes mais em novembro, dezembro e natal de novo. Isso sem contar os aniversários.

Entendem onde eu quero chegar? A nossa sociedade atingiu um ponto mental em que se você não possuir, não comprar, não gastar, você é infeliz. Vide essa crise atual, que foi gerada pelas transações de imóveis, com alto risco econômico. Se as pessoas não tivessem essa ânsia de possuir, não comprariam casas com o dinheiro que não têm e a crise não existiria. Li em algum lugar e um professor meu comentou que com essa crise, sumiram do mercado por volta de 15 trilhões de dólares, imagina quantos kits de malária da pra comprar com esse dinheiro, imagina na infra-estrutura que se pode construir para os mais necessitados, e algo colossal. Mas não, eles simplesmente sumiram, se foi pra conta de alguém, ou repartido entre os grandões, eu não sei! Sabe, não pode haver razão para tanto sofrimento. Mas é o capitalismo, baseado em crises, em guerras. Com certeza existe uma solução pra reverter toda essa crise, todo esse sofrimento. Mas parcela em 10x sem juros, por favor.


O natal é muito mais do que presentes.
(Victor Castanheira Antunes) dezembro 2008

7 comentários:

Felipe disse...

Po, acho que é exagerar um pouco achar que são os manda-chuvas da religião que associam o natal ao consumo. Acho que é mais uma forçação de barra dos empresários, que se beneficiam diretamente, do que dos religiosos. Te garanto que o papa não passa fome, mas essa história da igreja querer enriquecer a qualquer custo já não é bem assim. Hoje em dia eles tão mais preocupados em convencer mais pessoas a seguir a religião (se o fim é enriquecer ou não, não sei...).

E o Papai Noel não foi invenção da Cola-Cola, eles se apropriaram de uma história que já existia, de São Nicolau, e vestiram ele de branco, vermelho e mensagem subliminar.

Então independente de religião, acho que o caráter que o natal assumiu com o tempo, não desqualifica ele. Pelo menos eu acredito que a intenção inicial de se celebrar o natal não era econômica.

E o dinheiro na crise tá brabo mesmo. Aqui no Brasil mesmo, o governo corta gasto com educação e saúde e distribui milhões pra banqueiros pra crise entrar só até a cabecinha. Continuo defendendo: que a crise entre até o talo, talvez as pessoas percam o fascínio por esse tipo de sociedade medíocre na qual elas vivem.

Kas. disse...

Não falei que são os manda-chuvas da religião que associam o natal ao consumo. O Papa, o bispo macedo e sua trupe estão bem longe desse texto. O que eu quis dizer foi que os empresários fodões, pra mim, são suspeitos de utilizarem da religião pra ludibriar melhor o povo. Suspeitos.

E quanto ao erro cometido com o papai noel eu ia corrigir agora, tava rezando pra que ninguém comentasse e eu pudesse trocar o texto ahsuihauis

E eu também acho que a intenção inicial do natal não era essa, mas hoje a maioria acha que é, e isso me irrita. Me irrita ver as pessoas no shopping com aquela ansia de comprar, me irrita ver as crianças probres tristes pq o papai noel não vai dar o presente mais um ano.

Quanto a crise, essa sua sugestão seria uma solução boa, mas acho que eles preferiram parcelar em 10x sem juros HAUISHUIAHSI

Kas. disse...

texto corrigido já =)

nii;massine disse...

Kaas ,sou sua fã.IAHSIOAHI,tá muito boom, minha opiniao natalina está paralela a sua.mediocridade elevada a enésima potência,egoísmo e FALTA DE DINHEIRO,mas tá aí ,o povo reclama,pede empréstimo e se endivida até nao poder mais.Mas parcela esse sofrimento em 10x sem juros, por favor ?Beijãao

Felippe disse...

Texto excelente, kas.

E você foi longe com os trilhões.... com 40 milhões seria possível eliminar em quase 100% a fome mundial... fora as medicações e tratamentos para as epidemias mais comuns e alastradas na África.
E é complicado essa questão de "se vc tira daqui e põe aqui", já que esse dinheiro são de instituições privadas transnacionais que não ganham - é duro o fato, mas é verdade- nada com isso. Aliado ao descaso tá a falta de qualquer controle no mercado que não estipula escrúpulos e limites para as transações.

Realmente, muito da "entidade" natal foi deixado de lado. Não falo para trás, pq ainda é usual se falar nos sentimentos natalinos, mas eles são postos de lado perante os presentes. Na verdade, não é só a simbologia do natal que sofre esse processo. Diversos outros feriados e datas importantes tem seu significado atropelado.

E eu ainda acho que é muito perigoso aclamar essa crise como solução dos problemas. A crise afetará, mais cedo ou mais tarde, a não ser que nos mudemos para Marte, nossos bolsos e o cofre do País, e se já é difícil levar a nossa economia do jeito que é, eu não quero imaginar como será com ela em recessão.

Yza. disse...

Po, Kas... muito bom o texto, estava pensando em escrever algo seguindo a mesma linha no meu blog, mas acho que seria repetitiva depois de ler o seu texto, rs.

Enfim, tá bem legal mesmo, e infelizmente o consumismo está longe de ser controlado depois de tantas décadas sendo incentivado. 'Uns com muito outros com tão pouco', a melhor frase para o natal.

Beijos :)

Juliana disse...

Caraaaak acho exatamente isso tudo sobre o natal data marcada pelo consumismo!!! Aliais, alguem ainda sabe o significado de nataal.. sabem sim... data de ganhar presentes!

Novo Aeon - Raul Seixas

Sociedade alternativa
Sociedade novo aeon
É um sapato em cada pé
É direito de ser ateu
Ou de ter fé
Ter prato entupido de comida
Que você mais gosta
É ser carregado, ou carregar
Gente nas costas
Direito de ter riso e de prazer
E até direito de deixar
Jesus sofrer...