quarta-feira, 25 de junho de 2008

Amor, ódio, família, humanos e coisas do gênero.

Somos todos uns animais. Muitos diriam “sim, somos, porém, somos racionais”. Ok. Mas em todo o planeta somos os únicos animais que odeiam e que tem a maldita consciência. Sim, é lindo ver uma mãe abraçar seu filho assim que ele nasce. Aliás, somos também a única espécie que tem noção de família, todas as outras vivem sem saber quem é mãe de quem, quem é pai de quem e assim por diante. Trágico, não? Mas vocês sabiam que foi graças a essa noção de família que surgiu o capitalismo, a divisão de classes, exploração, racismo e tudo mais?
Há bastante tempo atrás, e põe bastante nisso, na pré-história ainda, os homens viviam igual aos macacos, em bandos nômades. Todos se tratavam igual, até o dia em que alguma fêmea de algum modo conseguiu identificar sua cria, e assim por sua vez tratou ela melhor do que as outras. Nascia ai o amor materno. Do mesmo modo que a fêmea identificou sua cria, ela identificou seu parceiro. Nascia ai o amor entre homem e mulher. E assim, a fêmea, o macho e suas crias começavam a viver mais unidos do que o resto do bando. Nascia ai a noção de família. Os machos do bando caçavam e traziam os alimentos para o resto do pessoal. Entretanto, os machos que já tinham a primitiva noção de família não queriam que as outras crias comessem o que ele caçou para sua família. Nascia ai o egoísmo humano! Daí pra frente é história. Cada vez mais o egoísmo cresceu, os bandos foram se separando, os homens evoluindo, suas mentes também, a exploração, o escravismo, etc.
Somos com toda a certeza os animais mais inteligentes do planeta, afinal, qual outro animal descobriria os átomos, qual outro animal inventaria a teoria da relatividade, qual outro animal iria compor escalas e teorias musicais impecáveis? Em contra balança somos com toda a certeza o animal que mais odeia, porque, qual macaco, qual golfinho ou qual bem-te-vi, criaria seitas para matar seus semelhantes só por causa de uma tonalidade de cor diferente, qual zebra, qual gorila ou qual urso, iriam explorar e destruir seu planeta, sua natureza fonte de energia, irracionalmente?
Como já dito, somos sem sombra de dúvidas muito inteligentes, mas também somos muito burros, egoístas e egocêntricos. E aí? Será mesmo que valeu à pena a fêmea descobrir sua cria e dar início a todo esse jogo de amor e ódio que impulsiona a grande roda da história há milhões e milhões de anos?

2 comentários:

Yza. disse...

Meu, nunca tinha pensado nisso.
Genial.

Pronto, se vc continuar postando, virei aqui mais vezes \o huaha

Beeijo Kas.

nii;massine disse...

oow,perfeito O_O

Novo Aeon - Raul Seixas

Sociedade alternativa
Sociedade novo aeon
É um sapato em cada pé
É direito de ser ateu
Ou de ter fé
Ter prato entupido de comida
Que você mais gosta
É ser carregado, ou carregar
Gente nas costas
Direito de ter riso e de prazer
E até direito de deixar
Jesus sofrer...